CHARNECA DE
CAPARICA / ALMADA
DAS 09H00 ÀS 21H00

Peixe

Um dos alimentos mais saudáveis

Prefira sempre o peixe à carne

Peixe

O peixe sempre foi reconhecido como um dos alimentos mais saudáveis da natureza. Além de ser versátil, é rico em proteínas e vitaminas e baixo em calorias. É, por isso, uma alternativa saudável a outras fontes de proteína, especialmente a carne vermelha.

Chamamos gorduras de boa qualidade às insaturadas e aos ácidos gordos essenciais ómega 3 e ómega 6, ambos muito presentes no peixe. Os primeiros reduzem o risco de doenças cardiovasculares. Os segundos intervêm na coagulação do sangue e no controlo dos processos inflamatórios.

Consumir regularmente peixe:

  • Diminui o desenvolvimento de doenças do coração e aterosclerose
  • Em idosos, diminui o risco de desenvolvimento de demências, ao reduzir a inflamação do cérebro e ajudar no desenvolvimento cerebral e na regeneração das células nervosas
  • Proporciona um melhor desempenho escolar às crianças
  • Ajuda a aliviar os sintomas de depressão, tristeza, ansiedade e problemas no sono
  • Tem influência no controle da pressão arterial
  • Colabora na coagulação do sangue
  • Alivia os sintomas da artrite reumatóide
  • Protege a pele contra raios UV e inflamações

o mais fresco

Tendo em conta a rápida deterioração do pescado, é necessário observar atentamente o aspecto do peixe:

  • OdorA maresia.
  • CorpoFirme e brilhante.
  • OlhosSalientes, a córnea transparente e a pupila negra e brilhante.
  • PeleBrilhante e com as escamas bem agarradas. A cor da pele deve ser viva, homogénea e com alguns reflexos. O muco-camada gelatinosa que cobre a pele, deve ser aquoso e transparente.
  • MembranaAdere completamente à carne. Quando o peixe não está próprio para consumo, separa-se da carne.
  • GuelrasBrilhantes, bastante vermelhas e sem muco. Com a perda da frescura, estas ficarão amarelas e ganham muco.

Conselhos úteis:

  • Por ser imprescindível em qualquer idade é indicado consumir, no mínimo, 2 a 3 refeições de peixe por semana.
  • Cozinhe os peixes gordos sem adicionar gordura (peixe assado, estufado, grelhado ou no micro-ondas, por exemplo)
  • O peixe de grande porte, como o atum e o espadarte, por exemplo, são aqueles que poderão ter acumulado metais pesados ao longo do seu ciclo de vida. Assim, é sempre mais favorável optar pelo peixe de pequeno porte.
  • Quando comprar peixe em conserva, prefira os conservados em água ou tomate em substituição do óleo.
  • O peixe ultra-congelado é de excelente qualidade dado ter sido embalado ainda muito fresco, o que permite também assegurar uma maior qualidade microbiológica.
  • O gelo é o indicado para expor o peixe. Os legumes nunca devem ser colocados junto de carne ou peixe crú, permite a contaminação cruzada, transferência de bactérias

Tempos máximos de conservação do peixe:

1 a 2 meses: garoupa, peixe espada preto, truta salmonada e restantes peixes gordos.
3 a 4 meses: peixes magros.

NUNCA VOLTE A CONGELAR UM PEIXE QUE JÁ FOI DESCONGELADO


Métodos de confecção:

  • Assar: sardinha, robalo, sargo, pargo, peixe vermelho, entre outros
  • Grelhar: peixes gordos e grandes.
    Peixes magros mariná-los antes ou untar com uma gordura, de modo a ficar mais suculento;
  • Estufar: peixes mais magros e de sabor não muito forte, para que o sabor de todos os peixes possa ser saboreado;
  • Fritar: peixes mais achatados como a solha. A adição de pão ralado irá fazer com que a fritura crie uma crosta protectora e a carne fique mais macia e húmida.

Tipos de peixe

Opte pela variedade

magros VS gordos

+ Peixes magros

Os peixes magros são os de mais fácil digestão, mas menos ricos em vitaminas e também em calorias. Apenas armazenam a gordura no fígado.

Apesar de terem um nível inferior de ácidos gordos ómega 3, apenas 200mg conseguem ter um papel anti-inflamatório mais eficaz que o peixe gordo ou as cápsulas de óleo de peixe, o que reforça a importância de outros constituintes presentes nos peixes magros.

Bacalhau, badejo ou abadejo (peixe semelhante ao bacalhau), carapau (ou chícharro quando crescido), carpa (peixe de água doce), corvina, dourada (pertencem a esta família, embora de qualidade inferior, o sargo, o pargo e as bogas), garoupa (cozinha-se de maneira idêntica à pescada. a carne de garoupa é, no entanto, mais rija e menos saborosa), goraz (cozinha-se como o pargo, o robalo e a dourada), linguado, lúcio (não deve ser consumido nos meses de fevereiro a abril), maruca, peixe-espada, pescada (elevado nível dietético), pregado (semelhante ao rodovalho), raiarobalo (digno das preparações mais requintadas), safio, salmonete (aconselhado que às suas preparações, seja adicionado o fígado inteiro ou desfeito no molho que o acompanhar), solha, tainha (também conhecida por mugem ou fataça, é muito apreciada frita ou cozida), tamboril, truta (muito frequente no nosso país, prepara-se de várias maneiras e deve ser consumido em 48 horas)

+ Peixes Gordos

Enquanto nos peixes magros a gordura se encontra praticamente confinada ao fígado, nos peixes gordos está dispersa por toda a carne e pele das espécies, numa percentagem elevada.

Apesar de mais calóricos, são ricos em vitaminas lipossolúveis e contêm quantidades elevadas de iodo (um mineral imprescindível para o bom funcionamento da tiróide). As gorduras destes peixes são ricas em ácidos gordos ómega 3.

Anchova (a sua carne gordurosa altera-se facilmente. pode ser cozinhado em fresco, em salmoura ou consumido em conserva. devido ao seu sabor muito acentuado, os filetes de anchovas são muito utilizados como condimento), arenque (é um peixe de mar de águas frias, de muito fácil digestão e dotada de um elevado poder nutritivo. quando salgado ou fumado torna-se mais indigesto), atum (muito rico em vitaminas, a sua carne varia entre o branco e o rosado e pode ser vendido fresco, salgado ou em conserva), cavala (peixe de mar, levemente indigesto, no entanto, muito rico em calorias. Muito frequente em portugal a sua conserva), cherne (pode ser grelhado ou cozido num bom caldo aromatizado. é idêntico ao pargo, mas o seu sabor é muito superior), enguia (muito nutritiva e permite diversas preparações, sendo a caldeirada a mais apreciada), espadarte (muito consistente e perfumado. A sua preparação é muito idêntica à do atum e é muito frequente servir-se fumado), lampreia (a sua carne, muito gordurosa, necessita de ser sangrada antes de submetida a qualquer preparação), moreia (carne muito fina e saborosa, presente, frequentemente em caldeiradas), salmão (de carne rosada e gorda, é levemente indigesto, mas muito nutritivo e rico em vitaminas. Consome-se também fumado, servido normalmente como acepipe. É entre nós raro e o peixe que goza de maior prestígio, sendo o seu preço muito elevado), sarda (peixe de mar muito semelhante à cavala, porém, muito mais saborosa e rica em vitaminas. Deverá ser consumida cozida ou grelhada), sardinha (carne muito gorda, altamente nutritiva, rica em calorias, de difícil digestão. A sua "época" é entre junho e agosto), sável (encontra-se com facilidade nos rios portugueses. a sua carne é muito nutritiva e saborosa e presta-se em excelentes preparações culinárias).